Rose McGowan critica reboot de Charmed, é acusada de racismo, e dá resposta

Rose McGowan
Rose McGowan (Reproduçao)

Rose McGowan falou mal do reboot de Charmed, foi acusada de racismo, e agora está tentando se explicar. A atriz que estrelou a primeira versão da série que foi ao ar do final dos anos 90 até início dos anos 2000 criticou a adaptação em uma live no Instagram em conversa com Holly Marie Combs, outra atriz do programa original, e os fãs interpretaram suas palavras como contrárias à diversidade do novo elenco. Ela disse tem tom irônico que ficava feliz por “aquelas pessoas” terem um emprego.

Com isso, Sarah Jeffery, que está na série atual expressou sua indignação através das redes sociais dizendo: “Triste e francamente patético ver mulheres adultas se comportando dessa maneira”.

Sarah Jeffery como Maggie Vera em Charmed
Sarah Jeffery como Maggie Vera em Charmed (Katie Yu/The CW)

Combs já havia respondido aos tweets da jovem atriz, e agora McGowan adicionou sua resposta dizendo: “Querida Sarah Jeffery, eu honestamente não tinha ideia de quem você era até tuitar. Tenho estado muito ocupada lutando contra monstros e lutando por uma enorme Redefinição Cultural para perceber quem está no reboot. Absolutamente nada a ver com raça, isso foi um grande esforço. Estou muito contente de que qualquer pessoa não branca tenha um trabalho bem remunerado. Tenho certeza que você é uma ótima atriz”, escreveu.

Mensagem de Rose McGowan
Mensagem de Rose McGowan (Reprodução)

McGowan tratou de explicar que seus problemas não são propriamente em relação aos atores que fazem parte do reboot. “Minha reclamação (pode ‘googlar’) é sobre executivos e produtores da rede WB (antigo canal de TV extinto em 2006, e que deu lugar à The CW) quererem desprezar meu trabalho e nome de forma tão cínica, e se agarrarem a qualquer forma de lucrar com o nome Charmed. Não me importo que eles tenham refeito a série, tenho coisas muito maiores com as quais estou lidando. Não assisto, nem vou assistir a um programa do qual discordo desde o princípio. Não há alma ou coração, em algo feito exclusivamente para o lucro, embora se recuse a elevar e inovar. Os reboots serão sempre a sombra. Os originais sempre serão o sol. Desejo bem a você”, concluiu a atriz.