Roteirista do live-action de Cowboy Bebop manda indireta para Ghost In The Shell

Ghost in the Shell (Foto: Divulgação)
Ghost in the Shell (Foto: Divulgação)

O escritor de Cowboy Bebop, Javier Grillo-Marxuach, recentemente deu uma entrevista para o site io9, da Gizmodo, onde revelou diversas novidades da série live-action de Cowboy Bebop que deve chegar ao catálogo da Netflix em 2021. Na entrevista, Javier falou sobre o quanto a série está se empenhando para trazer diversidade e ser o mais fiel possível ao anime. O escritor ainda falou sobre “whitewashing”, quando colocam atores brancos para interpretar um personagem de outra etnia, e ainda jogou uma indireta para o filme live-action Ghost in the Shell (A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell, no Brasil).

Por muito tempo vêm se discutindo sobre o whitewashing em Hollywood, e um dos casos mais polêmicos está em Ghost in the Shell, filme que adapta um anime e mangá de mesmo nome. O longa metragem foi protagonizado por Scarlett Johansson e conta as aventuras de uma policial, que é uma cyborg avançada e com super inteligência. Na versão original, a protagonista se chama Matoko Kusanagi, mas no filme hollywoodiano seu nome foi mudado para Mira Killian e não tinha aparência japonesa.

O filme foi duramente criticado e muitos disseram que apenas usaram o nome Ghost in the Shell para atrair o público, além de mostrar a longa tradição de Hollywood de contratar atores branco para papéis que deveriam ser de pessoas de outras etnias. Então, na entrevista Javier Grillo-Marxuach garantiu que isso não acontecerá na série live-action de Cowboy Bebop e que o whitewashing não será um problema.

Grillo-Marxuach declarou: “Spike Spiegel tem que ser asiático. Tipo, você não pode Scarlett Johansson nisso. Estamos fazendo um show que acontece em um futuro multicultural, extraordinariamente integrado e onde essas coisas são a norma”.

O escritor ainda destacou que Shinichirō Watanabe, o criador do anime original está trabalhando com consultor da primeira temporada, além de contar com ajuda de dois escritores, Karl Taro Greenfeld e Vivian Lee-Durkin, que são descendentes de asiáticos. O elenco também é diversificado contando com nomes como John Cho, Alex Hassell, Daniella Pineda, Elena Satine e Mustafa Shakir.