Run: Sarah Paulson vive uma mãe obcecada e cheia de segredos no trailer do suspense

Kiera Allen e Sarah Paulson em cena do filme “Run” (Imagem: Divulgação/ Entertainment Weekly)

Dirigido por Aneesh Chaganty (Buscando…), Run ganhou um trailer intenso. O suspense estrelado por Sarah Paulson (American Horror History) e Kiera Allen promete trazer a tona um passado cheio de segredos de uma mãe obcecada.

Confira:

 

Além de dirigir, Aneesh Chaganty também assina o roteiro ao lado de Sev Ohanian (My Big Fat Armenian Family).

A história, concentrada a maior parte dentro de uma casa, segue quase exclusivamente as personagens Diane (Sarah Paulson) e sua filha de 17 anos, Chloe (Kiera Allen). Enquanto mantém sua filha cadeirante isolada do mundo exterior, Diane guarda segredos bem sombrios. O passado intenso dessa mãe obcecada começa a vir à tona depois que sua filha começa a suspeitar de que ela possa estar escondendo alguma coisa obscura. É o início de uma relação ainda mais perturbadora.

Run será lançado no dia 8 de maio.

Run (Imagem: Divulgação)

Em entrevista recente concedida à Entertainment Weekly, Sarah Paulson falou o longa de suspense e sua personagem obscura. Conhecida por sua atuação em American Horror Story, a atriz está acostumada com personagens sombrios.

“Eu não sei se procuro uma singularidade em um personagem em termos de querer fazer algo ou não. Eu estava realmente interessada em trabalhar com Aneesh, porque eu realmente amei Buscando, e achei que era uma maneira incrivelmente inventiva de contar uma história que vimos antes. Então, eu fiquei muito atraída pelo projeto principalmente por causa disso. Mas eu também sempre gosto de explorar coisas que eu realmente não experimentei na minha vida. Eu não sou mãe e acho que, do ponto de vista da atuação, é sempre um desafio tentar encontrar uma maneira de se enraizar em uma realidade que você não conhece”, conta a atriz.

Paulson acrescenta: “[Diane e Chloe] vivem uma vida muito isolada, e elas realmente só têm uma a outra. Mas Chloe está naquele ponto de sua vida agora, onde ela está começando a querer explorar além dos limites de sua vida muito isolada, o que é muito normal. Mas acho que Diane acha isso muito assustador da maneira que a maioria dos pais pensa, no minuto em que seus filhos estão interessados ​​em voar no galinheiro. Diane só pode ter sentimentos particulares que vão um pouco mais ao extremo, é tudo”.

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.