Saiba quantos filmes que mais arrecadaram bilheteria em 2019 foram dirigidos por mulheres

Frozen 2
Frozen 2 (Divulgação)

Hollywood está mudada, o mercado cinematográfico está a cada dia dando mais espaço a uma maior representatividade feminina. Dados apontam que o setor teve um avanço de 12% nos 100 filmes de maior bilheteria no ano passado, que foram dirigidos por mulheres.

Stacy L. Smith e a USC Annenberg Inclusion Initiative comandaram um estudo que apontou que 10,6% dos diretores que conseguiram uma maior arrecadação no ano passado, foram mulheres, de acordo com a informação divulgada pelo site The Wrap.

Boa parte desta diferença no percentual, é explicada devido a produções cuja a direção é dividida, filmes como Capitã Marvel, que teve sua direção compartilhada entre Anna Boden e Ryan Fleck e Frozen 2, sob a responsabilidade de Jennifer Lee e Chis Buck.

Os estudos de Stacy L. Smith também revelaram que ocorreu uma significativa mudança na forma que os estúdios de Hollywood passaram a encarar as contratações de diretoras para suas produções. Estúdio de renome como a Universal passou a colocar cinco mulheres no top 100 de arrecadação do ano: Abominável, de Jill Culton, Queen and Slim, de Melina Matsoukas, A Chefinha, de Tina Gordon, Juntos Para Sempre, de Gail Mancuso, e Harriet, de Kasi Lemmons.

Não só a Universal mudou a sua postura, mas boa parte de seus concorrentes passaram a adotar novas medidas. A mudança foi tão grande que oito dos maiores estúdios de Hollywood passaram a ter 15% de mulheres no cargo de direção, isso só no ano passado. E os dados são ainda maiores, quando levamos em conta, filmes que marcaram presença no festival de Sundance, lá teve um total de 34,5% de diretoras entre os anos de 2015 a 2019.

Agora nem todos os dados são positivos, mesmo a pesquisa mostrando números recordes de mulheres à frente de grandes produções, o número cai significativamente quando levamos em conta as diretoras não-brancas, elas são apenas 35% das cineastas contratadas pelos grandes estúdios. Os dados ainda apontaram uma falta de reconhecimento ao trabalho das mulheres, que tem apenas 5,1% das cineastas sendo indicadas a prêmios importantes como o Oscar, o Globo de Ouro, o Critics Awards e DGA Awards. O próprio Globo de Ouro, não indicou nenhuma mulher para suas premiações de 2020.

Smith ainda relatou, que a situação só mudará de vez, quando os estúdios passarem a se dar conta, que a sua política de contratação “não reflete mais a realidade”, e ainda usou o bom exemplo da Netflix, que contou com 20% de seus longas dirigidos por mulheres em 2019. Esse percentual é um recorde para Hollywood mostrou um compromisso com a diversidade.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.