Sandra Oh revela o que fez para conseguir personagem de Scandall

Sandra Oh como a detetive Eve em “Killing Eve” (Imagem: Divulgação)

Você consegue imaginar Sandra Oh em outra série de Shonda Rhimes se não Grey’s Anatomy? Pois era isso o que iria acontecer em 2012, época em que ela quis deixar o drama médico de lado para atuar em outra série da patroa: Scandal. Na época de seu lançamento, diversas atrizes fizeram testes para a personagem principal, entre elas Taraji P. Henson e Gabrielle Union.

Em uma entrevista para a revista Variety, Oh revelou a Washington que queria interpretar Pope depois de ler o piloto da série, e tentou até fazer um tipo de lobby com a autora.

“Preciso lhe dizer, lembro exatamente onde estava quando li aquele maldito piloto. Eu estava no Grey’s. Estávamos no palco cinco. Alguém me deu uma espreitadela, não sei quem era, mas coloquei minhas mãos naquele roteiro, li e pensei: ‘Como eu poderia interpretar Olivia Pope?’”, disse.

Oh, então falou com Rhimes sobre o papel. “Lembro-me de ir até Shonda e perguntar: ‘o que eu preciso para fazer esse papel? O que é esse script? Eu também poderia fazer essa série?’ e ela respondeu: ‘Não, você precisa interpretar Cristina Yang!’”, contou. Kerry Washington então deu risada da história. “Você já tinha um trabalho garota”, disparou a atriz que recentemente viveu uma das protagonistas de Little Fires Everywhere.

“Mas também sinto que é tão maravilhoso e raro quando você coloca em suas mãos algo que sabe ser elétrico, que pode sentir. E eu fico muito feliz que tenha sido você”, disse Sandra Oh, que ainda explicou como era seu relacionamento com Rhimes, e que tinha liberdade para questionar os roteiros que lhe eram entregues.

“Passei muito tempo com escritores, e a televisão tem tudo a ver com o seu relacionamento com o escritor. O que eu consegui com Grey’s é ter a responsabilidade e o relacionamento com a escritora para poder direcionar para onde ela está indo. Se surgisse algo do tipo ‘Isso está completamente errado’, eu entraria em conflito com Shonda e muitos outros roteiristas. Mas acho que, no final das contas, para todo o produto e nosso relacionamento, se você está lutando pelo show, se você está lutando pelo seu personagem, as pessoas podem dizer isso”, opinou.