Sequestrador na Ucrânia faz pedido incomum envolvendo filme de Joaquin Phoenix

Joaquin Phoenix em O Mestre (Reprodução)

Um sequestro de mais ou menos 12 horas na Ucrânia, terminou com um desfecho surpreendente de acordo com o jornal The New York Times. Um homem, identificado como Maksim Krivosh manteve 13 pessoas como reféns e após muito tempo de negociação com a polícia local exigiu ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky que obrigasse os cidadãos do país a assistirem ao filme Terráqueos (Earthlings/ 2005), narrado por Joaquin Phoenix.

Zelensky fez o pedido conforme o combinado, publicando em sua página no Facebook: “Todo mundo, assista ao documentário de 2005 Terráqueos”, e apagou o post horas depois. Depois que Zelensky postou a mensagem sobre o filme, Krivosh libertou todos os reféns e se rendeu à polícia, segundo o jornal americano. Ele havia deixado três reféns irem mais cedo no dia seguinte, depois de falar com o presidente por telefone. Nenhum dos reféns foi ferido.

Krivosh pegou um ônibus e se barricou na cidade de Lutsk na manhã de terça-feira, 21 de julho. Ele postou seu manifesto e solicitações no Twitter no início do dia, incluindo sua demanda por Terráqueos. Ele também pediu que oficiais do governo e membros da Igreja Ortodoxa Ucraniana publicassem mensagens dizendo que são terroristas. Os meios de comunicação locais informaram que Krivosh exibiu Terráqueos aos reféns no ônibus que sequestrou.

Krivosh estava armado com um rifle e explosivos, e várias das janelas dos ônibus foram atingidas por balas, mas não houve derramamento de sangue. Zelensky divulgou uma declaração depois que os reféns foram libertados e Krivosh foi preso, dizendo: “Não estávamos lutando por classificações. Estávamos lutando pela vida”. O filme narrado por Phoenix fala sobre o uso de animais nas indústrias agrícola e científica e inclui imagens de câmeras escondidas presas aos bichos. O documentário também compara especismo a racismo e sexismo entre humanos.