Showrunner de The Witcher explica por que optou por mudar linha do tempo em nova temporada

Liberação deve reiniciar trabalhos de The Witcher (imagem: Divulgação)

Quando The Witcher foi apresentada ao público em dezembro do ano passado uma das grandes controvérsias se deu em torno de sua linha temporal. Enquanto muitos fãs consideravam aquele modo de contar história, o mais inteligente possível, muita gente ficou confusa com o vai e vem das décadas. A showrunner Lauren H. Hissrich, já havia falado sobre isso em entrevista anterior, afirmando que a segunda temporada permitirá que todos os personagens principais estejam na mesma linha do tempo, o que facilitará para a compreensão do público, porém, outras temporalidades ainda serão abordadas.

“Obviamente, foi uma das partes mais controversas da primeira temporada e eu não esperava que fosse assim, mas é algo que ainda defendo em termos de narrativa”, disse ela ao site The Wrap sobre a decisão de incluir várias linhas do tempo. “O objetivo era conhecer cada um desses personagens individualmente, e a única maneira de fazer isso era separar suas linhas do tempo”, explicou.

“O que é ótimo é que eles se cruzaram agora. Então, o que veremos na segunda temporada é que todos os nossos personagens existem na mesma linha do tempo. O que nos permite fazer histórias é brincar com o tempo de maneiras ligeiramente diferentes. Nós fizemos flashbacks, chegamos a fazer flash-forward, podemos realmente integrar o tempo de uma maneira completamente diferente que não fomos capazes de fazer na primeira temporada”.

“Imagina se começássemos com três, e depois continuássemos seguindo para frente, e para trás em cada uma delas? Era possível que agora tivéssemos cinco ou seis linhas do tempo diferentes, e seria muito mais confuso. Em uma única temporalidade vai permitir que o público compreenda e se divirta mais, até mesmo um novo público”, disparou a autora. Ela chegou a dizer anteriormente que não considera que haverá um final feliz entre Geralt e Yennefer pois não consegue enxergar nos personagens, o desejo de se prenderem a alguém.