Showrunner de This Is Us fala sobre a grande briga que guiou o fim da temporada

Kevin (Justin Hartley) e Randall (Brown) em This Is Us
Kevin (Justin Hartley) e Randall (Brown) em This Is Us

This is Us chegou ao fim de sua quarta temporada, na última terça-feira, 24 de março, e mostrou o grande embate entre os irmãos Randall (Sterling K. Brown) e Kevin (Justin Hartley). Um flash foward exibido no meio da temporada em novembro do ano passado mostrou o aniversário de 40 anos dos ‘Big 3’ da família Pearson, em que o problemático ator de Hollywood afirmou para a mãe que o irmão adotivo não estava presente por eles não estarem mais se falando.

Nesta temporada, Randall lidou com sua ansiedade, além de ter percebido de forma sagaz que existia algum problema mental acontecendo com Rebecca (Mandy Moore). Com a mania de controle habitual do personagem, ele viajou para outro estado para que a mãe conseguisse uma consulta imediata com uma profissional que começou a constatar um possível caso de Alzeheimer.

O problema é que ao ser questionado pela família, Randall escondeu de todos o problema, e sentiu-se responsável pela situação, pressionando a mãe a se internar em uma instituição psiquiátrica, o que motivou a celeuma. O último episódio mostrou a maior briga que já aconteceu entre ele e Kevin. No jardim da casa de Kate, eles se engalfinharam numa violência verbal onde Randall foi acusado de ter complexo de herói fracassado, e jogou na cara do irmão, o fato de Jack (Milo Ventimiglia) ter morrido com vergonha pela pessoa que Kevin era. O ator, rebateu que a pior coisa que o pai fez foi levar Randall para a casa ao invés de tê-lo deixado abandonado no hospital em que nasceu. 

Em uma entrevista para o site TV Guide, o showrunner da série, Dan Fogelman explicou que o embate havia sido planejado desde a primeira temporada.  “Trabalhamos nisso há um tempo. Eu acho que foi cuidadosamente inserido tanto no show como na última metade desta temporada, especificamente. Esta é uma luta que continua – esse é o tipo de coisa de Caim e Abel para esses dois. Esta é uma luta que vai, literalmente, ao seu início; Dois tipos de alfa que cresceram sob o mesmo teto, exatamente no mesmo período de tempo, ambos com dois conjuntos de habilidades e personalidades totalmente diferentes”, começou. 

“É fácil esquecer agora depois de 70 episódios, mas esses dois irmãos realmente se deram bem e tiveram um relacionamento adulto de verdade durante duas temporadas. Na primeira, eles não eram tão próximos e foram se unindo, até trazerem à tona suas feridas emocionais primordiais, que os separam. Tentamos mostrar que eles são o tipo de irmãos que não se falam ao telefone todos os dias. Os atores foram tão brutais que agiram de forma brilhante. Trabalhar em um drama humano como nós fazemos é não ter medo de mostrar as falhas e feiuras das pessoas”, continuou garantindo que espera que o programa consiga levar o conforto e a esperança através do diálogo entre os personagens na próxima temporada.