Showrunner fala sobre possível referência a Aquaman em The Flash

Grant Gustin como The Flash (Imagem: Divulgação)

Quando o crossover de Crise nas Infinitas Terras aconteceu, novos mundos se abriram no Arrowverse, e The Flash já deixou claro que pode viajar para esses mundos, o que fez com que fãs no mundo inteiro esperassem uma menção ao Aquaman. Tudo começou num episódio em que Cisco (Carlos Valdes) confirmou diretamente a existência de Atlantis, local em que o herói subaquático vive.

O nerd master da série disse que chegou ir até Atlantis, buscar algo que pudesse ser a chave para salvar Iris (Candice Patton) do Mundo dos Espelhos, onde ela se encontrava presa, e as menções a Atlantis fizeram com que os telespectadores acreditassem que o personagem falaria algo sobre o príncipe dos mares, mas isso não aconteceu, e foi questionado para o showrunner Eric Wallace.

“Não sei se consigo entender. Eu não acho que tenha sido um corte na edição, então vou dizer que não [Não existia no roteiro menção a Aquaman]”, disse ele em entrevista ao site TV Line. Mesmo que seja um pouco frustrante para os fãs dos heróis saber que a série de TV ignora a existência de outro grande herói, já ficou claro para todos o quanto tudo é complexo quando se trata dos produtos da DC, e as diferenciações que a empresa faz entre televisão e cinema.

Prova disso é que a equipe de Esquadrão Suicida estava pronta para aparecer na terceira temporada de Arrow (2014), quando a Warner pediu que os roteiristas abandonassem a ideia, já que os personagens seriam usados em um longa.

“Havia certas coisas que sabíamos que não eram palpáveis ​​e o universo cinematográfico – antes dessa ligação – se enquadrava nessa categoria”, afirmou Mark Guggenheim, showrunner de Arrow quando conseguiu fazer com que Ezra Miller, o Flash dos cinemas participasse do crossover de Crise nas Infinitas Terras. “O bom de fazer alguma coisa há anos é que você está lá para todas as mudanças. Você está presente para todas as mudanças de pessoal, e você está presente para as mudanças filosóficas e as mudanças nas políticas, e isso aconteceu numa daquelas situações em que as pessoas [da direção] mudaram de ideia. Eu fiquei tão feliz que sim, mesmo que a mudança tenha acontecido depois que nós estivéssemos envolvidos em todo o crossover. Então, chegou muito tarde, mas, como eles dizem, antes tarde do que nunca”, disparou.