Sucesso de série sobre João de Deus no Globoplay atrapalha planos da Netflix

João de Deus (Imagem: Reprodução/Globo)

A tremenda repercussão da série documental Em Nome de Deus, que narrava os crimes sexuais cometidos contra mulheres por João de Deus, produzida pela Globoplay, afetou os planos da Netflix de lançar um título sobre o mesmo tema.

Segundo o colunista Fefito, do UOL, devido ao projeto idealizado por Camila Appel, produtora do Conversa do Bial, que começou o processo de apuração para a descoberta dos casos fez a gigante do streaming recomeçar o seu projeto praticamente do zero.

Informações apuradas pela coluna dão conta que dramatizações de alguns eventos agendadas com atores foram descartadas. O serviço On Demand também reformulou a forma como a série é abordada e adiou a estreia do título no seu catálogo. Com estreia prevista para ainda este ano, a nova série documental agora foi remanejada para junho de 2021.

Ao contrário do documentário narrado por Pedro Bial, a produção da Netflix vai além dos abusos sexuais denunciados por mais de 300 mulheres, e vai recontar também a trajetória completa de João de Deus, que por 40 anos realizou cirurgias e outros atendimentos espirituais, em Abadiânia, em Goiás, tornando-se uma sumidade no assunto em todo o mundo.

O projeto visa iniciar a vida do goiano desde adolescência, quando teria vivido a sua primeira experiência ao presenciar a imagem de uma santa. Esta primeira visão teria sido responsável pelo seu trabalho como médico que cura, através da fé, e que fez atender mais de dez milhões de pessoas, incluindo celebridades, políticos e ex-presidentes da República.

O documentário é uma produção em parceria com a Grifa Filmes.  No último mês de abril, a companhia firmou um termo de compromisso com o médium e a Casa Dom Inácio de Loyola, que pagou a quantia de R$ 70 mil para obter o acesso dos arquivos pessoais de João de Deus, tais como: fotos, gravações e outros documentos.

A Netflix pretende focar em torno dos extremos: as supostas curas que promovia em seu sítio em Abadiânia e as acusações de assédio sexuais, que o condenaram a 20 anos de prisão, no qual cumpre em regime domiciliar.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.