Tarantino revela se a sua versão de Star Trek marcará o fim da carreira no cinema

“Star Trek” (Reprodução)

Quando Quentin Tarantino anunciou que “Era uma Vez em… Hollywood” seria seu penúltimo filme, fãs e a indústria do cinema reagiram com tristeza, afinal o diretor foi responsável por alguns dos longas mais icônicos dos últimos anos. E, ao que tudo indica, uma nova versão de Star Trek poderá fechar sua carreira com chave de ouro.

O projeto, que será para maiores, não é novidade e já se encontra encaminhado há algum tempo, com J.J. Abrams na produção e roteiro “pronto”, faltando apenas que o estúdio Paramount dê o sinal verde. Em entrevista ao CinemaBlend, Tarantino declarou: “Eu acho que se realmente for fazer Star Trek, devo me comprometer. É meu último filme. Não pode ser feito de qualquer jeito. Ainda não sei se farei, mas pode acontecer“. O diretor foi então questionado se o derivado poderia não ser considerado na contagem de 10 filmes, já que não se trata de uma ideia original, ao que ele respondeu: “Eu acredito que tenho uma brecha, se esse for o caso. Eu poderia pensar ‘Ah, Star Trek não conta. Eu posso fazer Star Trek… mas naturalmente teria que terminar com um original’. Mas a ideia de fazer 10 [filmes] não vem com uma brecha“.

Selo de aprovação

A ideia de fazer um filme derivado da franquia Star Trek usando violência e linguagem explícitas não agradou muitos fãs, mas se serve de consolo, o diretor já tem o apoio de William Shatner, o icônico Capitão Kirk original, que declarou: “Por que as pessoas estão irritadas com isso? É de meu conhecimento que Star Trek: Discovery usou palavrões em alguns episódios. Por que as pessoas não estão reclamando disso?”. Antes que Quentin possa viver uma vida longa e próspera, “Era uma Vez em… Hollywood” poderá ser conferido nos cinemas a partir de 15 de agosto.

Cresceu vendo filmes ao invés de brincar na rua. Fã de ir ao cinema sozinha. Críticas e notícias sobre o mundo do entretenimento.

bostancı escort