The Boys: Showrunner comenta como foi feita cena picante de Tempesta e Capitão Pátria

Tempesta (Aya Cash) e Capitão Pátria (Antony Starr) em The Boys
Tempesta (Aya Cash) e Capitão Pátria (Antony Starr) em The Boys (Reprodução)

Quando a segunda temporada de The Boys estreou, Tempesta (Aya Cash) apareceu como uma rival a altura para Capitão Pátria (Antony Starr). A nova heroína dos Sete conseguiu catapultar todas as atenções para si, fazendo com que as pessoas a enxergassem como líder, o que deixou o então todo poderoso dos super-heróis furioso. No quinto episódio, porém, eles acabaram se rendendo à atração física e sexual, e o criador do programa Eric Kripke, comentou que uma cena de sexo assim, era algo que ele queria fazer há muito tempo.

“Quero dizer, uma vez que conhecemos a história e a reviravolta que, em última análise, Tempesta e Pátria iriam acabar juntos, essa sempre foi uma grande cena de sustentação que iríamos buscar. Então, não, estávamos ansiosos para conseguir fazer isso”, começou ele.

“Foi muito complicado, porque você vem com coisas na sala dos roteiristas, mas no final do dia, ainda é uma cena de amor, então os atores têm que colaborar no que querem fazer e ter certeza de que estão confortáveis. E então, além disso, você está fazendo todas as complexidades de bloquear a cena de amor com dublês dizendo, ‘Ok, podemos conectar ela e puxá-la em uma roldana no ar aqui’. Tem tudo isso. Então, quase tudo foi descoberto. Eu estava lá, Phil Sgriccia, o diretor de produção, estava lá, os atores e os dublês. E éramos nós realmente trabalhando no set e dizendo: ‘Bem, podemos esmagá-los aqui, e podemos jogá-los ali, e podemos levantá-los lá do outro lado. E pessoal, o que vocês acham? E então Aya e Antony estavam também dando ideias”.

Questionado pelo site Collider, se precisou ter um coordenador de intimidade para a cena entre os personagens, Kripke explicou que não, pois a temporada inteira foi gravada antes da paralisação por conta do coronavírus, e antes que um profissional deste tipo se tornasse uma obrigação nos sets, e ainda ressaltou: “Qualquer cena que fizermos de agora em diante precisaremos um coordenador de intimidade”.