The Last Days of American Crime: Crítica massacra novo filme da Netflix

The Last Days of American Crime (Imagem: Divulgação)

Na última sexta-feira, 5 de maio, estreou na Netflix The Last Days of American Crime, adaptação da HQ homônima de Rick Remender e Greg Tocchini, lançada em 2009 pela Radical Publishing. O novo filme de suspense e ação, dirigido por Olivier Megaton (Busca Implacável 2 e 3), já conta com as primeiras críticas no Rotten Tomatoes e elas não são nada animadoras. Até o momento, são 18 avaliações e uma aprovação de 0%.

Confira alguns comentários:

“É uma ofensiva na qual saques e anarquia são tratados como vitrines, lei e ordem são encontradas no controle da mente, e a brutalidade policial é tão difundida que justifica um alerta.” – Peter Debruge, Variety.

“Um fracasso colossal de proporções épicas, para ser exato, completo com 148 minutos de teste de paciência (!), Que parecem uma eternidade.” – Casey Chong, Casey’s Movie Mania.

“Com performances sombrias e sujas e um enredo que é mais indutor de olhos do que intrigante, cada minuto (de 148) parece uma punição.” – Kristy Puchko, Pajiba.

“A confusão ideológica dos cineastas parece tão cinicamente oportunista quanto qualquer dos personagens reais.” – Jesse Hassenger, AV Club.

“… um suspense pesado e de alto conceito sobre assalto com um toque de ficção científica que se assemelha a um spinoff bobo da franquia Purge.” – Todd Jorgenson, Cinemalogue.

Escrito por Karl Gajdusek (Obvilion), o novo longa criminal da Netflix é estrelado por Édgar Ramírez (O Ultimato Bourne), Anna Brewster (Versailles) e Michael Pitt (O Universo no Olhar). Na trama, um trio de criminosos tenta realizar um último grande assalto. Por causa da crescente onda de crimes e terrorismo, o governo americano pretende instalar um sinal que impede qualquer prática de atos ilegais. Sabendo do que irá acontecer, Graham Bricke (Ramírez), Shelby Dupree (Brewster) e Kevin Cash (Pitt) se juntam para orquestrar o último assalto antes que o sinal seja transmitido. 

Assista ao trailer: