The Walking Dead: World Beyond dá provável explicação do que são pessoas tipo A e tipo B

The Walking Dead: World Beyond – Reprodução

Finalmente The Walking Dead: World Beyond trouxe informações inovadoras sobre o vírus zumbi que causou a infestação e o apocalipse.

É provável que os fãs se lembrem que quando Jadis (personagem de Pollyana McIntosh) salvou Rick (Andrew Lincoln) chamando um helicóptero, ele disse: “eu tenho um B, não um A. Eu nunca tive um A. Ele está ferido, mas é forte…”. Isso deixou os fãs intrigados sem entender o que poderia significar.

Aconteceu, porém, que na cena pós-créditos do episódio 4 de “World Beyond”, algumas respostas foram dadas. Pelo que se sabe, a República Civil está realizando diversos experimentos com zumbis, liderados pela doutora Leyla (Emily Kinney).

A cena mostrou Leyla fazendo comparações entre amostras de testes feitos durante e imediatamente após a ressuscitação, ao lado de diversas leituras sobre formas como os zumbis são afetados pela variação climática dos diversos ambientes onde estão.

A cientista está realizando um teste com o Dr. Samuel Abbot, de Oregon. Ela se refere a essa pessoa como TSA402 e tem outra cobaia chamada A403. Isso parece, então, ter a ver com o código “Tipo A e Tipo B”, citado por Jadis.

“A”, provavelmente, é um assunto de teste que o CRM deverá experimentar na busca de uma cura. Ou seja, quando Jadis mudou a categoria de Rick para B, ela o fez para salvar sua vida. Outra coisa que faz sentido é que ela categorizou Negan e o Padre Gabriel como A antes de tentar matá-los. Assim, se pode dizer que os “A” são dispensáveis e os “B” não o são.

É provável então que o CRM possa recrutar uma pessoa “B” como força de trabalho, seja como soldado, na liderança ou em algum outro tipo de serviço.

Assim, provavelmente se espera que Rick Grimes trabalhe para o CRM de uma forma ou de outra em seu retorno para os filmes The Walking Dead, e com base no que vimos até agora, não esperamos que eles aceitem não como resposta.

ankara escort