Tiana, de A Princesa e o Sapo, substitui atração considerada racista dos parques da Disney

A Princesa e o Sapo
A Princesa e o Sapo (Imagem: Reprodução/Disnney)

A princesa Tiana, protagonista de A Princesa e o Sapo (2009), foi escolhida para nomear uma nova atração nos Parques Disney da Califórnia e da Flórida. O anúncio foi feito na última quinta-feira (25), pela própria empresa. A ideia é que a princesa substitua a montanha russa que homenageia o controverso filme Song of the South, de 1946, cujas acusações de racismo fizeram com que Disney, o “banisse” do seu catálogo oficial.

A empresa informou que trabalha para renovar o tema da atração desde o ano passado. Após os protestos antirracistas em decorrência do assassinato de George Floyd, a pressão para derrubada de ícones do racismo aumentou e impulsionou a decisão da Disney. 

Song of The South conta a história de um garoto que viaja ao sul dos Estados Unidos para conhecer a fazenda de sua avó. As criticas e acusações de racismo emergem devido à representação romantizada da escravidão e de afro-americanos.

O filme não estará disponível no serviço de streaming da gigante do entretenimento, o Disney+,  nem para compra, o que, paradoxalmente, faz da película uma “raridade” entre colecionadores. Carmen Smith, responsável por estratégias inclusivas da Walt Disney resumiu a expectativa da mudança: “É importante que nossos convidados possam se ver nas experiências que criamos”.

A animação, vencedora do Oscar por sua canção Zip-a-Dee-Doo-Dah, reproduz os costumes da época na qual foi produzida, por isso a escravidão é retratada desta forma. O CEO da Disney, Bob Iger, falou sobre as suas considerações a respeito do filme e justificou o motivo pelo qual a produção foi banida do seu catálogo.

“Desde que sou CEO, eu sinto que o ‘Song of the South’ não era apropriado no mundo de hoje, mesmo com uma ressalva, um aviso. É difícil, dadas as representações em alguns desses filmes, divulgá-los hoje sem, de alguma forma ou outra, ofender as pessoas, por isso decidimos não disponibilizá-lo”, explicou.