Tom Hanks pode realmente viver personagem famoso dos desenhos da Disney

Geppetto em Pinocchio
Geppetto em Pinocchio (Reprodução)

Em 2018 surgiram boatos de que o ator Tom Hanks estava negociando para viver o Gepeto num possível live-action de Pinocchio. Naquela ocasião, Paul King estava a frente do projeto assim como de outras das dezenas de histórias que a Disney planejava adaptar de seus famosos clássicos animados, mas ele acabou deixando o projeto, e nunca mais surgiram mais notícias sobre o longa. Agora, o site Deadline publicou que Hanks pode mesmo interpretar o famoso artesão, mas em companhia do diretor Robert Zemeckis, de O Expresso Polar, que acabou de assumir a direção do projeto.

Segundo o veículo, não há nada confirmado ainda, porém o astro de Forrest Gump teria procurado o diretor e pedido para fazer o filme, no papel do gentil entalhador de madeira, que devido à solidão, acaba criando um boneco vivo, que deseja ser um menino de verdade. A nova versão será produzida por Andrew Miano, com roteiro de Chris Weitz, que escreveu o live-action de Cinderella anteriormente.

O relacionamento de Zemeckis com a Disney ao longo dos anos tem sido interessante. Ele inicialmente tentou criar Uma Cilada Para Roger Rabbit, com uma equipe artística completamente diferente, no início dos anos 80. Mas, na época, a Disney Company não estava preparada para um híbrido de live-action com animação com tanta complexidade (tanto tecnologicamente quanto quando se tratava de acordos de licenciamento). Zemeckis voltou ao projeto no final dos anos 80, quando uma nova equipe de gerenciamento foi instalada na Disney e Steven Spielberg tinha concordado em ajudar.

O filme resultante foi um dos maiores filmes da década e provou que a nova liderança da empresa poderia enfrentar materiais desafiadores e ousados. Zemeckis, por sua vez, prometeu nunca mais trabalhar no estúdio, principalmente devido ao micro-gerenciamento e beliscões do executivo Jeffrey Katzenberg. Ele cumpriu sua palavra até a Casa do Mickey Mouse assinar um contrato com sua empresa, ImageMovers, para captura de movimentos para o filme Marte Precisa de Mães (2011), que teve orçamento de 150 milhões, faturando apenas 39 milhões de dólares.