Turquia pede que Netflix bloqueie acesso ao filme Cuties; entenda o motivo

Mignonnes - Cuties
Mignonnes – Cuties (Reprodução)

Sempre indo contra alguns dos filmes mais populares do mundo, o governo turco aprontou mais uma vez, e pediu para que a Netflix bloqueie o acesso ao filme Cuties, no país. O longa francês batizado originamente como Mignonnes foi alvo de uma enorme controvérsia quando a gigante do streaming comprou o material para exibi-lo internacionalmente, mas colocou no cartaz de divulgação, imagens das protagonistas que são pré-adolescentes em roupas provocantes.

Não faltaram aqueles que sem ter nenhum conhecimento sobre a história do longa começaram a protestar contra o serviço de streaming, acusando-o de estar hiper sexualizando as crianças. De forma ágil, a Netflix corrigiu o erro substituindo o cartaz que havia feito, por outro semelhante ao que está sendo afixado nos cinemas franceses. Por lá, o filme, que foi vencedor do Festival de Cinema de Sundance no início do ano estreará em breve, já que foi adiado inúmeras vezes por causa da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Segundo a agência de notícias Reuters, a vigilância de transmissão de conteúdos da Turquia, relatou que o longa tem cenas de exploração infantil. O Ministério da Família da Turquia havia dito anteriormente que o filme “pode fazer com que as crianças sejam expostas à negligência e ao abuso, e impactar negativamente seu desenvolvimento psicossocial”.

Cuties segue uma jovem muçulmana senegalesa que vive na França e sonha em se juntar à trupe de dança moderna de seus amigos, uma fantasia que vai de encontro aos valores tradicionais de sua família. Sua diretora, Maïmouna Doucouré, contou em entrevista ao site Deadline que chegou a receber ameaças de morte através de mensagens diretas nas redes sociais, de pessoas que sequer viram o trailer do filme e acusaram de promover a tal hiper sexualização das meninas protagonistas. Segundo ela, se as pessoas apenas vissem o trailer, saberiam que ela está do mesmo lado que elas, contra a objetificação de corpos.

A Turquia é um país muçulmano e se tornou mais religioso e conservador nos últimos anos com seu presidente Recep Tayyip Erdoğan. A Netflix não respondeu imediatamente ao pedido de comentário, mas já cedeu às solicitações de censura do governo turco no passado, apresentando um episódio de Designated Survivor que apresentava um presidente turco fictício como seu antagonista.