Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica (Imagem: Divulgação)
ANÚNCIO

A pandemia do novo coronavírus tem feito vários estúdios de Hollywood repensarem o seu planejamento diante das suas produções que estarão a ponto de estrear ou até mesmo em processo de filmagem. A Disney foi uma dessas produtoras que decidiu tomar providências e adiou os próximos títulos que estão prestes a serem lançados nos próximos meses, e com os cinemas vazios, para evitar aglomerações também resolveu adiantar o lançamento nas plataformas de streaming, como é o caso de Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica.

A animação, que estreou nas telonas no último dia 05, vai passar a ficar disponível para compra e aluguel através dos canais de Video On Demand (VOD) a partir do dia 03 de abril, data na qual a produção também chega ao Disney+.

A decisão segue o exemplo de outros estúdios que também resolveram antecipar a chegada dos seus filmes em serviços sob demanda, como a Universal, Warner e Sony. A iniciativa é vista como uma forma de reparar a falta dos espectadores nas salas de cinema por conta do surto do COVID-19, e neste período ao investir no mundo digital.

Dois Irmãos: Uma jornada Fantástica acompanha a dupla de elfos que dá título ao longa em um mundo mágico, e entra em uma confusão ao tentar trazer de volta o pai deles, já falecido, por meio de um feitiço considerado perigoso.

O filme da Pixar que conta com  Tom Holland, Chris Pratt, Octavia Spencer e Julia Louis-Dreyfus, no elenco dos dubladores teve 87% de aprovação no Rotten Tomatoes. O consenso geral dos críticos é o de que o filme “pode até sofrer em comparação a outros clássicos [do estúdio], mas faz um uso prático de suas fórmulas – e tem mérito próprio como uma aventura divertida, reconfortante e estonteante”.

O portal AV Club em sua critica foi ainda mais severo declarando que “Dois irmãos nunca realmente alça voo, mesmo quando seus personagens estão aprendendo a fazer isso”.

“Ainda assim, mesmo que o filme fique narrativo, há flash e brilho suficientes para manter os espectadores envolvidos, com Holland e Pratt fornecendo um equilíbrio genuíno de amor e exasperação entre irmãos”, analisou Alonso Duralde, ao The Wrap.

“Você não se sentirá enganado por isso, mas também não se sentirá exaltado. No entanto, a Pixar, em sua própria bravura, ganhou mais do que o direito de lançar um filme como este – uma peça descarada de produto, uma espécie de substituto da Pixar feito com uma pequena pitada de alma”, Owen Glelberm, para a Variety.

“A maioria dos filmes da Pixar é especial por um motivo ou outro. O que torna o humor genérico do irmão e a vibração familiar de RPG de Dungeons & Dragons uma decepção”, David Rooney, do The Hollywood Reporter.

Comentários

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui