Vibrando com representatividade, estrela de Eu Nunca… fala de preconceito consigo mesma

Eu Nunca...
Eu Nunca… (Reprodução)

Em uma semana de estreia, Eu Nunca… se tornou uma das atrações mais assistidas da Netflix. A série criada por Mindy Kaling mostra as agruras de uma adolescente indiana que tenta adequar sua vida como a de uma típica adolescente americana, com problemas comuns da idade. A comédia jogou a novata Maitreyi Ramakrishnan ao estrelato, como ela nunca imaginou.

Em entrevista por vídeo com a revista Variety, ela afirmou que participar de um programa popular que respeita suas origens é muito importante, porque geralmente as pessoas não caucasianas não ocupam espaços privilegiados dentro das narrativas televisivas. “Posso falar pelos atores de cor do sul da Ásia [de onde minha família veio]. Sempre somos tratados como o alívio cômico”, começou ela.

“Não há nada de errado em ser um ajudante ou ser engraçado ou o alívio cômico… mas não é bom quando é ofensivo e quando você só recebe esse sentimento de volta. E às vezes, tudo o que as pessoas estão fazendo é considerar um coadjuvante alguém não tão importante. Quando as pessoas se identificam com um personagem, ele geralmente é caucasiano, e você não sendo, uma hora ou outra percebe que está vivendo nas sombras por conseguir se ver apenas através de personagens brancos, e isso não é totalmente aceitável”.

Segundo a atriz de 18 anos que passou por uma maratona de testes derrotando outras 15 mil candidatas ao papel, ela própria há alguns anos para ser aceita em ambientes sociais como a escola, tentava anglicizar a pronúncia de seu nome, e só amadureceu nesse aspecto a Los Angeles. “Eu acho que um dos maiores desrespeitos que você pode fazer com uma pessoa é não se esforçar para aprender seu nome. Eu costumava anglicizar meu nome no ensino médio. Quando cheguei em Los Angeles, as pessoas me perguntavam ‘Como se diz seu nome? Eu não quero confundir’. Nessa hora pensei ‘Uau. Meu Deus, é a minha chance de recuperar meu nome’, porque eu amo meu nome. Por que eu mudaria isso?”, acrescentou.