Vida de Maurício de Sousa, criador da Turma da Mônica, vai virar filme

Maurício de Sousa
Maurício de Sousa (Imagem: Divulgação)

A vida e obra daquele que é considerado o maior cartunista do Brasil, o paulista Mauricio de Sousa vai virar filme. O cineasta Pedro Vasconcelos vai contar nos cinemas a história do criador da Turma da Mônica.

O cineasta relata que quando leu a autobiografia Maurício: A história, que não está no gibi se apaixonou, e teve a certeza que precisava mostrar toda essa história no cinema, imediatamente, Pedro Vasconcelos, começou a imaginar o storyboard.

O longa que será gravado em live-action, irá contar as aventuras de origem bastante simples, que revolucionou quando com apenas 6 anos de idade, achou em uma lata de lixo um gibi, e partir daquele momento lutou até criar o império dos quadrinho, Maurício de Sousa Produções.

O live-action terá a Tuinho Schwartz, e roteiro e argumentos do próprio Pedro Vasconcelos. O cineasta comprou os direitos do livro, usando a produtora Boa Ideia Entretenimento.

O filme será gravado em São Paulo capital, e ainda em cidades do interior do estado, e a promessa é que encante todos que cresceram acompanhando as histórias criadas por Maurício de Sousa.

“Ele se alfabetizou pelos gibis, com a ajuda da mãe, e lia tudo que chegava aqui, na época: Mandrake, Flash Gordon, Spirit, Pato Donald. Logo começou a rabiscar caricaturas. Aos 13, começou a vender seus desenhos, em dípticos, na barbearia do pai – que era barbeiro, mas poeta por vocação. Na escola, depois de fazer uma caricatura de um professor de matemática, ele foi perseguido por ele e acabou repetindo três anos seguidos”, relatou Pedro Vasconcelos.

A produção pretende contar muito além de uma linda história de superação, um dos intuitos do cineasta, é relatar de onde vieram as inspirações e as referências que levaram o cartunista a criar personagens que marcaram a infância de muitos brasileiros.

Será contada também, a história da passagem do cartunista pelo Jornal Folha da Manhã, atual Folha de São Paulo, após o insucesso em sua tentativa ainda aos 19 anos, em fazer os seus desenhos serem publicados por algum jornal ou editora.

A trama mostrará também a criação do seu primeiro personagem, ainda em 1959, ano que o cartunista criou o cãozinho Bidu. O filme ainda não tem data prevista para ser lançado nos cinema.

Amante das diversas formas de expressão cultural. Viciado em séries, e sempre por dentro das últimas novidades do cinema. Ama dramas e sempre tenta dar uma oportunidade para as fantasias, distopias e os longas de ação e terror.