Warner Bros. se posiciona oficialmente sobre polêmicas mensagens transfóbicas de JK Rowling

J.K. Rowling surpreendeu ao revelar onde criou Harry Potter (Imagem: Divulgação)

A autora de Harry Potter, JK Rowling entrou numa grande confusão na última semana ao se posicionar de forma controvérsia separando sexo e gênero. E depois de várias estrelas, irem contra o seu discurso, chegou a vez de a Warner Bros., se posicionar oficialmente sobre o caso.

Tudo começou quando no último sábado, 6 de junho, a escritora compartilhou em seu twitter um artigo que fala sobre pessoas que menstruam, e brincou dizendo que já existia uma palavra para denominar essas pessoas que menstruam: “mulheres”. Só que os usuários da rede a avisaram que não necessariamente apenas mulheres menstruam, pois pode haver pessoas trans que não se identificam com o sexo biológico, e que ainda assim possuem menstruação.

Entre as alegações, estava o fato de que mulheres trans, também são mulheres e não menstruam, e logo as pessoas passaram a tratar o tweet da autora como transfóbico, e ela respondeu: “Respeito o direito de toda pessoa trans de viver da maneira que lhe parecer autêntica e confortável. Eu marcharia com você se fosse discriminado por ser trans. Ao mesmo tempo, minha vida foi moldada por ser mulher. Não acredito que seja odioso dizer isso”, rebateu ela ao dizer ainda que é empática à causa trans há décadas, e que ela não odeia pessoas trans.

“Conheço e amo pessoas trans, mas apagar o conceito de sexo [masculino e feminino] remove a capacidade de muitos de discutir suas vidas de maneira significativa. Não é ódio falar a verdade”, completou ela, gerando ainda mais polêmica. Foi então que nesta quarta-feira, 10 de junho, a Warner Bros. resolveu falar sobre o caso dizendo que se mantém aberta a adotar uma cultura de diversidade na empresa.

“Os eventos das últimas semanas fortaleceram nosso compromisso enquanto companhia em enfrentar problemas sociais difíceis. A posição da Warner Bros. em relação a inclusão está bem estabelecida, e adotar uma cultura mais diversa e inclusiva nunca foi tão importante para a empresa e públicos ao redor do mundo. Valorizamos muito nossos contadores de histórias que dão tanto de si para dividir suas criações conosco. Reconhecemos nossa responsabilidade de mostrar empatia e defender a compreensão de todas as comunidades e pessoas, particularmente aquelas com quem trabalhamos e aqueles que alcançamos com nosso conteúdo”, escreveu a companhia em comunicado divulgado pelo site Deadline.