WarnerMedia abre investigação após denúncia de abusos de diretor de Liga da Justiça

Cyborg (Ray Fisher) em Liga da Justiça
Cyborg (Ray Fisher) em Liga da Justiça (Divulgação)

O ator Ray Fisher, que interpretou o Cyborg no filme Liga da Justiça publicou em suas redes sociais nesta quinta-feira, 20 de agosto, que a WarnerMedia abriu um tipo de investigação devido às inúmeras reclamações sobre o comportamento abusivo do diretor Joss Whedon no set de filmagens do longa. Tudo começou há alguns meses quando o próprio Fisher publicou um vídeo de sua participação na San Diego Comic Com de 2017, em que dizia que Whedon era um “cara legal”. Ao republicar o vídeo ele disse que retirava ali tudo o que havia dito há três anos, afirmando que o cineasta era arrogante, e que promovia um ambiente abusivo durante as filmagens, sendo sempre corroborado pelos chefes da DC Comics na época, Geoff Johns, e Jon Berg.

Segundo o site The Hollywood Reporter que entrou em contato com os responsáveis pelo estúdio, a empresa está mesmo investigando, mas deixou claro que esta é uma prática comum na indústria, e em nenhum momento está prejulgando qualquer atitude que tenha sido tomada por Whedon, Johns ou Berg, e que a tal investigação não se limitará aos três citados. A WarnerMedia não deu um parecer sobre quando todos os seus trabalhos em cima desta questão serão concluídos.

Dos três citados por Ray, apenas Berg negou tudo, enquanto os outros dois se recusaram a sequer comentar o assunto. Fisher disse que teve sua carreira ameaçada pelos diretores, e que ele inclusive deixou de colocar o nome de um profissional de cabelo e maquiagem, que teria ficado chateado com a situação, e esperado por uma oportunidade de ver seu nome aparecer no corte original, de Zack Snyder que estreará na HBO Max no ano que vem. Cyborg seria o grande destaque de Liga da Justiça, mas com a mudança no enredo promovida por Whedon, ele acabou relegado a apenas algumas cenas sem ter sua história de origem desenvolvida.

ankara escort