Warrior Nun: Showrunner comenta o surpreendente final da temporada

Warrior Nun (Imagem: Divulgação/ Netflix)

Baseada nos quadrinhos homônimos de Ben Dunn, Warrior Nun conta a história de uma antiga e secreta seita composta por freiras guerreiras, que lutam contra demônios na Terra. Estrelada por Alba Baptista, a primeira temporada, com dez episódios, foi lançada no dia 2 de julho na Netflix. Ao longo dos episódios, vemos Ava lutando contra o seu destino. Depois te der um artefato divino, chamado de Halo, embutido nas costas quando estava morta, a jovem acorda com poderes e precisa liderar Order of the Cruciform Sword (Ordem da Espada Cruciforme) o grupo contra as ameaças do inferno.

Durante a primeira temporada, Ava e as freiras acreditavam que o grande poder vinha do Halo do Anjo Adriel (William Miller). No entanto, além de serem traídas pelo padre Vincent (Tristán Ulloa), elas descobrem que Adriel está vivo e que não é realmente um anjo. A reviravolta for explicada pelo criador da série, Simon Barry, em entrevista concedida à Entertainment Weekly.

“Estávamos cientes de que este seria um terremoto, em essência, não apenas a traição de [padre] Vincent, mas a ideia de que sua própria mitologia fosse potencialmente construída sobre uma mentira”, o showrunner disse. “Adriel não desceu à terra do céu e presenteou [o poder] para a primeira freira guerreira. Muita crença em sua própria ordem foi construída em torno dessas mentiras, precisávamos que elas reexaminassem isso. As Irmãs Guerreiras precisavam entender que eram exemplos vivos da mitologia e que foram recrutados com base nessa história falsa. Esse é um argumento muito poderoso para muitas coisas. Você poderia dizer isso sobre nacionalismo, oculto, religião. Queríamos desafiar a realidade delas e ver como isso se desenrolava”.

Depois de introduzir um antigo demônio na trama, uma possível segunda temporada terá muito o que explorar com o personagem e com o próprio padre Vincent. “Esse é obviamente um terreno fértil para a segunda temporada, se conseguirmos um. Quando você tem um personagem como o padre Vincent, que acredita em algo tão fortemente, isso faz você questionar a narrativa que lhe foi contada. Se ele acredita em Adriel, então talvez haja algo lá que os outros ainda não saibam e o que Vincent sabe. Então, estamos contando com a crença de Vincent em Adriel para manter as coisas fluidas e não necessariamente em preto e branco”, explicou.

Apesar de ter se tornado popular entre o público da plataforma, a Netflix ainda não confirmou a renovação da série para a segunda temporada. No entanto, pode ser questão de tempo, já que a produção foi muito bem recebida. Sobre as possibilidades para o futuro da série, Barry afirmou: “O mundo maior terá que entrar em jogo agora se chegarmos à segunda temporada. A natureza da revelação de Adriel e o escopo do que aconteceu depois que Duretti [Joaquim de Almeida] se tornou Papa é algo que obviamente é um evento público. A ideia de que esse evento e o surgimento de Adriel passa despercebida pelo público simplesmente não faz sentido. Teremos que ver o impacto disso no mundo fora do OCS e nas próprias freiras. Os planos de Adriel terão que entrar em foco, e isso é obviamente algo maior do que o que envolveria apenas a igreja”.

Os dez episódios da primeira temporada de Warrior Nun estão disponíveis no catálogo da Netflix.

Assista ao trailer:

 

Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), apaixonada por literatura, cartas e pela magia do cinema. Escritora de histórias e trajetos dos amores.

ankara escort