Winona Ryder revela que Keanu Reeves desobedeceu diretor para não fazê-la chorar; entenda

Keanu e Winona Ryder (Reprodução)

A estrela de Stranger Things, Winona Ryder revelou uma situação um tanto curiosa em relação aos bastidores de um dos filmes que fez junto com Keanu Reeves. Segundo ela, o ator se recusou a obedecer às ordens de um diretor e gritar com ela no set. A intenção, era fazer com que ela chorasse de verdade durante as filmagens, porém ele queria que os gritos fossem dados nos bastidores.

Tudo isso aconteceu durante a realização de Drácula de Bram Stoker, de 1992, onde a atriz viveu Mina Harker, e Keanu Reeves, seu noivo. “A maltrate fora das câmeras em uma tentativa de fazê-la chorar de verdade”, relatou ela sobre um pedido feito a Reeves pelo diretor Francis Ford Coppola.

Winona e Keanu em Drácula de Bram Stoker (Reprodução)

Segundo uma entrevista para o The Sunday Times, ela explicou que Coppola pediu que todos os atores homens do filme fizessem o mesmo para acuá-la, e assim provocar lágrimas, algo que foi recusado por muitos deles. “Para contextualizar, eu deveria estar chorando. Literalmente, Richard E. Grant, Anthony Hopkins, Keanu… Francis estava tentando fazer com que todos gritassem coisas que me fariam chorar. Mas Keanu não, Anthony não… Simplesmente não funcionou. Eu fiquei tipo… Isso meio que fez o contrário”.

Depois disso, ela fez uma longa amizade com Reeves com quem já trabalhou em outros filmes como O Homem Duplo (2006), A Vida Íntima de Pippa Lee (2009), e Com Quem Será? (2018), esta última uma comédia romântica que foi considerada muito ruim pelos críticos, algo que a atriz confessa não entender até hoje. “Recebi as piores críticas. Esse filme, por algum motivo, todo crítico dizia: ‘Este é o pior filme do mundo’ e foi realmente difícil”. Agora a atriz está se preparando para se despedir de Stranger Things, já que o final da série da Netflix está cada vez mais próximo.