Joelma nega reconciliação com Ximbinha e anuncia turnê com Calypso

A cantora Joelma resolveu usar seu perfil do Instagram nesta segunda-feira (30), para tentar esclarecer uma dúvida dos seguidores quanto ao retorno de sua carreira junto a banda Calypso.

Através de uma live, a artista, que revelou que em 2022 vai fazer uma turnê especial com sua antiga banda, negou que isso seja o início de uma possível reconciliação com Ximbinha, seu ex-marido.

“Voltar com o ex? Prefiro a morte. Voltar com a minha banda. Esse projeto é cem por cento meu”, afirmou Joelma. No último sábado (28), a artitsa já havia anunciado o projeto exclusivo com a banda: “Tem muita coisa por vir (…). Ano que vem a gente está com a turnê Isso é Calypso, e a banda Isso é Calypso vai voltar”.

A declaração de Joelma, inclusive, gerou revolta em Ximbinha, que, por meio de sua assessoria, afirmou que o retorno da banda só pode ser feito com a formação original.

“Por determinação judicial, a marca somente pode ser usada se estiverem os dois sócios juntos. Desta forma, a Banda só poderia retornar na sua formação original, e não apenas por um dos artistas”, disse a assessoria.

Ximbinha e Joelma se divorciaram em 2015 após um suposto escândalo de traição. O caso gerou uma grande polêmica no mundo dos famosos e artístico. Desde então os dois seguem lutando na justiça pela marca, que existe desde 1999.

Trauma de infância

No último mês Joelma foi convidada para o programa Jojo Nove e Meia, do canal Multishow, apresentado por Jojo Todynho, onde ela desabafou sobre relacionamentos abusivos. A artista disse que por anos foi testemunha de agressões sofridas por sua mãe.

A artista detalhou que seu pai era um homem muito agressivo e ela presenciou todo o sofrimento de sua mãe desde os cinco anos. A paraense afirmou que tudo o que viu se tornou um grande trauma em sua vida.

“Faz parte da minha história, né? Porque meu pai era completamente abusivo com a minha mãe. Ele não batia, ele espancava ela e tinha cinco anos de idade e lembrava de tudo. Eu cresci nutrindo esse sentimento horrível como se fosse um bichinho de estimação. Chegou num momento da minha vida que eu não conseguia mais sorrir, mas eu sabia o caminho de volta. Eu aprendi a perdoar. Meu pai foi embora de casa quando eu tinha oito anos de idade. Quando eu fui falar com ele, eu já tinha os meus 42 anos”, desabafou.

 

MAIS LIDAS

Surenã Dias
Formado em jornalismo pela UNIME Salvador, possui passagem por rádio, jornal e trabalha com público de internet desde 2016. Atualmente tem focado em projetos de audiovisual, cultura pop e celebridades.
Veja mais ›