Musa do Carnaval de SP, Carla Prata revela dieta após descobrir doença rara

Carla Prata
Carla Prata comenta sobre doença autoimune (Imagem: Reprodução / Instagram)

A musa e rainha de bateria da Acadêmicos do Tucuruvi, Carla Prata, mostrou que tem samba no pé e sabe rebolar com a vida quando o assunto é cuidar da saúde. A ex-Domingão do Faustão precisou mudar toda a rotina ao descobrir uma doença.

Aos 43 anos, a estrela foi diagnosticada com miastenia gravis, uma doença autoimune que faz com que ela tenha dores musculares e ataques no sistema nervoso.

A característica da doença é fraqueza muscular e fadiga, além de afetar os músculos do corpo inteiro. Em conversa ao UOL, Carla contou que precisou parar de comer várias comidas para que não haja dores no dia a dia, principalmente durante o desfile.

A minha doença causa exatamente cansaço, e é uma coisa que a gente não pode ter pra sambar. Mas eu vou com garra, com força, com vontade, faço tudo certinho, tomo tudo certinho. Mas, graças a Deus, eu consigo”, disse a famosa.

Com o Carnaval rolando, ela contou que precisa fazer exame de sangue, praticamente, todos os meses. “Faço exame laboratorial de sangue praticamente a cada um mês e meio para ver se as minhas taxas estão boas. Tomo uns 30 comprimidos por dia, tem época que é até mais. Até o povo que vai colher meus exames de sangue em mim fica chocado, porque são tipo 40 tubos”, revelou.

Para se jogar na avenida, Carla Prata segue uma rigorosa dieta. Ela já revelou que no dia do desfile, no entanto, chutou o balde e comeu arroz, feijão, carne e até purê de mandioca. Banana, açaí também entraram no grupo de alimentos da artista. A explicação para interromper toda dieta no dia do Carnaval é atribuída por ela ao fato de precisar de mais energia para sambar.

Dieta diferente

Devido a doença, Carla Prata resolveu fazer faculdade de nutrição para poder investigar melhor uma dieta para que não tenha efeitos ruins no corpo. Faltando um ano para se formar, a modelo passou a se alimentar bem e adotou dietas diferentes para o resto da vida.

A musa passou a estudar o que o glúten faz com as células do corpo, além de cortar a substância azotada por completo. Ela, no entanto, afirma que de vez em quando se permite a comer algo que tenha glúten, mas ressalta que é apenas uma vez por mês.