E agora? Dívida MILIONÁRIA faz torcedores de futebol entrarem em PÂNICO

Arena do Grêmio
Arena do Grêmio (Foto: Reprodução/Instagram/@TodosNaArena)

A Justiça de São Paulo ordenou a penhora da Arena do Grêmio, estádio de futebol onde o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense é mandante em seus jogos. A execução foi feita após um pedido dos bancos Santander, Banco do Brasil e Banrisul, que cobram um valor de R$ 226 milhões pela construção do estádio. O acordo foi feito para o levantamento do espaço entre os anos de 2010 a 2012. 

A cobrança em questão se refere a obra do estádio e está sendo requerida pelas instituições bancárias desde o ano de 2022. Segundo nota emitida pela Arena Porto Alegrense, responsável pela gestão do estádio, tudo não passa de um procedimento técnico inerente. Ainda no comunicado, a gestora afirmou que só podem responder por 8% da dívida. 

Clube publica nota sobre a penhora da Arena do Grêmio 

O protesto da juíza Adriana Cardoso dos Reis, da 37ª Vara Cível de São Paulo, menciona não apenas o valor do estádio, e sim todo o terreno usado para a construção. 

Em nota oficial publicada em seu site, o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense afirma que está acompanhando de perto a dívida de penhora da Arena do Grêmio. O clube gaúcho de futebol garantiu que os seus advogados internos e a atual direção estão tratando do assunto.

Em outro ponto do comunicado, a associação tranquilizou totalmente os seus milhões de torcedores e afirmou que seguirá mandando os seus jogos na arena. A instituição garantiu que continuará dando a atenção devida ao caso e o mais breve possível trará novas informações à torcida tricolor.

“Com isso, o Clube, por meio da presente nota, visa tranquilizar a sua torcida que continuará como mandante de seus jogos no estádio. O tema seguirá merecendo a melhor da nossa atenção e, quando oportuno, a instituição poderá, eventualmente, trazer novas informações aos nossos torcedores”, dizia a nota.