Isabel Teixeira comenta sobre Maria Bruaca de Pantanal

Filha de Renato Teixeira, a atriz Isabel Teixeira vive a personagem Maria Bruaca em Pantanal, que está em um relacionamento abusivo com Tenório (Murilo Benício). Em conversa ao Em OFF, a artista comentou sobre já ter vivido um relacionamento parecido com a do papel que vive no remake atual da Globo.

“Tenho pensado muito sobre isso, nessa relação da Maria Bruaca com o Tenório. Num primeiro momento, ela era uma menina, Tenório trabalhava pro pai dela, e eles se apaixonaram, mas a família era contra qualquer tipo de aproximação. Ela acaba fugindo com ele, casa numa delegacia… Então, tinha amor ali, paixão”, disse ela.

SELECIONAMOS PARA VOCÊ

Na opinião da artista, de certa forma a personagem acredita que por ser casada com o fazendeiro, os ‘costumes’ e obrigações são normais, mesmo se sentindo péssima com todos eles.

“A partir do momento que se casaram, acontece da gente achar que se normatiza algo que não é normal… Acho que foi isso que aconteceu. Acho que a Maria acha normal coisas que não são. Ela não tem referência, nem televisão ela assiste. Então, acaba achando que o mundo é isso. Os dias vão passando e quando a Guta chega é o despertar, mesmo que isso demore. É um processo de reconhecimento de como está vivendo e ‘desnormatização’ daquilo que não é correto. Não pode passar, ela desperta um olhar mais geral”, admitiu.

Despertar

Consciente sobre muitos relacionamentos como o de Maria Bruaca, Isabel Teixeira pontuou que a história dela pode ser um gatilho positivo na vida de mulheres que agem que nem a personagem. Além disso, ela afirmou que elas podem despertar e de repente deixarem essas relações abusivas.

“Sim, é algo muito normal em graus diferentes. Acho que isso estar passando em rede nacional, em horário nobre, pode ser um despertar do olhar de outras pessoas… Até me emociono falando disso, porque é muito forte. Também são situações pequenas, que a gente deixa passar, que podem ser resolvidas numa conversa, que a gente não pode deixar passar. Abrir esse olhar para pessoas que estão vivendo algo parecido e que estão aceitando isso porque não conseguem ter uma visão geral para se transformarem, acho que tem um valor inestimável. É muito importante”, afirmou.

Por fim, a artista disse que não sabe se perdoaria uma traição, como na história do papel interpretado.

“Acho uma pergunta muito difícil… Não sei, depende. Depende do trato que se tinha, do momento que se está vivendo, da história das duas pessoas… As vezes o perdão pode significar o crescimento de duas pessoas e a reformulação do amor… Seria generalizar algo que é muito pessoal, só a gente sabe sobre isso. Traição é dor, e existem milhares de nuances de traições. O perdão também vem com o tempo, ele é um processo de compreensão”, argumentou.

O que você achou? Siga @siteentrete no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui.

Rafael Carvalho
Formado em Jornalismo pela Faculdade das Américas (FAM), já apresentou programa de entretenimento relacionado ao mundo dos famosos e entrevistou artistas do meio.
Veja mais ›